Logo paivense
Logo paivense

Pacto secreto entre Salgado e Chávez rendeu ao BES 6,4 mil milhões de euros

José Sena Goulão / Lusa

Ricardo Salgado e Hugo Chávez celebraram um acordo secreto que levou a que várias empresas públicas venezuelanas investissem cerca de 6,4 mil milhões de euros no GES e no BES.

O ex-presidente da Venezuela Hugo Chávez esteve em Portugal, em 2010, para encomendar um milhão e meio de computadores Magalhães a José Sócrates. O Correio da Manhã avança que, nessa sua visita a Portugal, o líder venezuelano celebrou outro acordo que nunca foi revelado publicamente até então.

Ricardo Salgado propôs a Hugo Chávez a criação de uma aliança estratégica entre o Grupo Espírito Santo (GES) e uma entidade o Governo venezuelano. Isto levou a que várias empresas públicas deste país sul-americano investissem no GES e no Banco Espírito Santos (BES) cerca de 6,4 mil milhões de euros.

O acordo foi revelado uma carta enviada por Temir Porras Ponceleon, secretário executivo do Fundo de Desenvolvimento Nacional da Venezuela, a Ricardo Salgado, em 2013.

“No âmbito da celebração da comissão mista Portugal – Venezuela, na qual foi assinado o acordo para a construção de dois barcos asfalteiros para PDVSA [Petróleos da Venezuela], o presidente da República Bolivariana de Venezuela e várias autoridades do nosso país foram abordados pelo Sr. Ricardo Salgado para que fosse criada uma aliança estratégica entre uma entidade pertencente ao governo da República Bolivariana e o Grupo Espírito Santo (GES)”, lê-se na carta.

A carta revela ainda que, numa reunião em junho de 2013, as duas partes acordaram que o Fundo de Desenvolvimento Nacional da Venezuela investiria 500 milhões de euros no capital social do GES no espaço de um ano.

Fonte: ZAP