jmsloan / Flickr

O antigo Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama

O Grupo de Lesados do Novo Banco vai manifestar-se na próxima sexta-feira, em frente ao Coliseu do Porto, no mesmo dia em que o ex-Presidente dos Estados Unidos fará uma conferência no local.

Em comunicado, o grupo de lesados do papel comercial vendido pelo BES e lesados emigrantes refere que enviou uma carta a Barack Obama e à sua mulher, Michelle Obama, a contarem que foram vítimas de vendas fraudulentas (‘misselling‘) de produtos financeiros pelo BES e que foram “burlados e vigarizados com informação continuamente falsa” dada pelo Banco de Portugal.

“Estamos a dar-lhe a conhecer o drama que estamos a viver, devido à burla na informação falsa continuada, à expropriação que estamos a ser sujeitos, à burla com desvio de provisões que passaram para o Novo Banco, e este utilizou para outros fins”, referem os lesados na carta a que a Lusa teve acesso.

Acrescentando que o banco “não devolve o que nos roubaram, com a passividade do Governo e das autoridades competentes”, referindo ainda que o Novo Banco é agora detido maioritariamente pelo fundo de investimento norte-americano Lone Star.

A conferência que traz o antigo Presidente norte-americano ao Porto é a Climate Change Leadership Porto Summit 2018, sobre alterações climáticas, a decorrer no Coliseu do Porto a 6 de julho, promovida por entidades públicas e privadas.

Este mês foi pago aos quase dois mil lesados do papel comercial vendido pelo BES, pelo fundo de recuperação de créditos, a primeira parcela das indemnizações que visam compensar parcialmente as suas perdas.

Contudo, a solução encontrada prevê apenas o pagamento de 75% das aplicações até 500 mil euros (com limite de 250 mil euros) e de 50% para valores acima de 500 mil euros. Contudo, estes lesados continuam a exigir a devolução na totalidade dos montantes que perderam (até porque de início lhes foi dito que o Novo Banco tinha ficado com uma provisão do BES nesse sentido) e já fizeram várias manifestações este ano.

O BES, tal como era conhecido, acabou em 3 de agosto de 2014, quatro dias depois de apresentar um prejuízo semestral histórico de 3,6 mil milhões de euros. Milhares de pessoas ficaram lesadas devido a investimentos feitos no banco ou a empresas do Grupo Espírito Santo.

O Banco de Portugal, através de uma medida de resolução, tomou conta da instituição fundada pela família Espírito Santo e anunciou a sua separação e criou o Novo Banco, que em outubro passado foi vendido em 75% à Lone Star.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

16 − fourteen =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.