Início País Marcelo “totalmente alheio” ao envolvimento da namorada na queda do BES

Marcelo “totalmente alheio” ao envolvimento da namorada na queda do BES

COMPARTILHAR

José Sena Goulão, António Cotrim / Lusa

Marcelo Rebelo de Sousa comentou a notícia sobre as eventuais responsabilidades da namorada Rita Amaral Cabral na queda do BES, no âmbito das funções que exerceu no Banco. “Sou totalmente alheio”, garante o Presidente da República.

O jornal Sol avançou na edição deste fim-de-semana que a Comissão de Partes Relacionadas do BES, de que Rita Amaral Cabral fez parte, está a ser visada por várias testemunhas ouvidas pelo juiz Carlos Alexandre no inquérito judicial, por eventuais responsabilidades na queda do Banco.

Esta Comissão, criada por recomendação do Banco de Portugal em 2014, tinha como responsabilidade zelar pela separação efectiva entre o BES e as empresas do Grupo Espírito Santo (GES), evitando quaisquer formas de “contágio” entre os dois universos.

No âmbito de um requerimento apresentado pelo arguido José Manuel Espírito Santo ao arresto de duas casas, testemunhas ouvidas pelo juiz Carlos Alexandre, designadamente alguns antigos funcionários do BES, “apontaram o dedo à Comissão de Partes Relacionadas” no processo de descalabro, “aliviando as responsabilidades que caem sobre os administradores do banco e do grupo”, nomeadamente Ricardo Salgado e o próprio José Manuel Espírito Santo, como nota o Sol.

Além de Rita Amaral Cabral, desta Comissão faziam ainda parte Joaquim Goes e Horácio Afonso, sendo que nenhum deles foi constituído arguido no âmbito do processo de inquérito que envolve o BES.

Confrontado com estes dados, o Presidente da República destaca, em nota enviada ao Correio da Manhã, que é “matéria” que não lhe diz “respeito” e a que é “totalmente alheio”.

Além de fazer parte da referida Comissão, Rita Amaral Cabral foi administradora não executiva do BES entre 2012 e 2014.

“Íntima da família Salgado”

Aquando da queda do Banco, na última reunião do conselho de administração, a 13 de Julho de 2014, Rita Amaral Cabral terá proposto um “voto de louvor” a sublinhar como tinha sido uma “honra acrescida ter tido como presidente da comissão executiva o senhor dr. Ricardo Salgado”, conforme cita a revista Sábado num artigo da edição de 28 de Janeiro de 2016.

Esse mesmo artigo refere que Rita Amaral Cabral “era íntima da família Salgado” e que foi através dela que “Marcelo estreitou as relações com Ricardo Salgado”. A mulher do ex-banqueiro, Maria João Salgado, será também uma das melhores amigas dela.

Apesar de não viverem juntos e de nunca terem casado, Marcelo e Rita Amaral Cabral namoram desde os anos de 1980, sendo fotografados habitualmente pelas revistas cor-de-rosa a passar férias juntos ou em eventos sociais.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

twenty − two =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.