Rodrigo Antunes/ Lusa

A presidente do Partido Popular (CDS/PP), Assunção Cristas

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, afirmou nesta terça-feira que os professores “foram aldrabados” pelo Governo, liderado pelo socialista António Costa, acusando ainda o primeiro-ministro de ser “muito incompetente”.

“Compreendo muito bem as razões dos professores e compreendo muito bem que foram aldrabados, foram enganados no último Orçamento do Estado, claramente, por parte do Governo”, afirmou ontem a líder centrista, em entrevista à RTP1.

Assunção Cristas considerou que, no que diz respeito aos professores, que reclamam a contagem da totalidade do tempo de serviço (nove anos, quatro meses e dois dias), o Governo e o primeiro-ministro, António Costa, têm “andado muito mal”.

“O primeiro-ministro não tem razão, não consegue dialogar. É um primeiro-ministro que não mostra competência. É um político hábil, mas é um governante muito incompetente, nestas matérias e noutras matérias”, afirmou.

A negociação para o Orçamento de 2018 “prolongou-se” e “houve um acordo” que deixou os docentes “mais ou menos tranquilos”, mas “depois perceberam que era um logro”, referiu Assunção Cristas.

Para a presidente do CDS, este é “um padrão da atuação” do Governo do PS, em áreas como a educação, a saúde, a ferrovia ou dos investimentos públicos.

Questionada sobre se considera que os professores têm razão, Assunção Cristas defendeu a necessidade de “conversar para perceber o que é possível e em que timing”.

Taxas Robles é o “BE a lavar a sua consciência”

Durante a entrevista, Assunção Cristas abordou ainda a “taxa Robles“, a proposta apresentada pelo Bloco de Esquerda para travar a especulação imobiliária. Para a líder centrista, esta é uma tentativa do partido “lavar a sua consciência”.

“É o BE a lavar a sua consciência, mas não consegue e quer fazê-lo pelo canal errado“. Para Cristas, o importante neste momento é “combater a especulação imobiliária e dar habitação a muitas pessoas“.

Assunção Cristas não poupou nas críticas e, abordando o Orçamento de Estado para o próximo ano, considerado que “este Governo tem um primeiro-ministro e um ministro, o resto são todos secretários de Estado“, atirou.

Confrontada com os resultados orçamentais das Finanças, Cristas respondeu dizendo que Mário Centeno “faz um orçamento fantasioso, não rigoroso”, apelidando mesmo o ministro das Finanças como “campeão das cativações”.

A líder do CDS-PP aproveitou ainda para reiterar o que tem dito nos últimos tempos: “O CDS é a alternativa. Neste momento, somos a alternativa clarinha“, considerou.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

19 + 18 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.