Início País Marques Mendes defende aumento de salários de políticos

Marques Mendes defende aumento de salários de políticos

COMPARTILHAR

Carlos Barroso / Lusa

Luís Marques Mendes

No encontro das direitas, o antigo líder do PSD defendeu o aumento da remuneração dos políticos como uma de quatro medidas para melhorar o sistema político.

Esta quinta-feira, Luís Marques Mendes defendeu o aumento da remuneração dos políticos, sobretudo dos que desempenham cargos executivos, como uma forma de melhorar a qualidade do sistema político.

“Não se trata de salários milionários, mas entre o 8 e o 80 há o 30, o 40 ou o 50”, começou por afirmar. “Mas se queremos uma democracia baratinha pagaremos um preço alto“, alertou o antigo líder do PSD, apontando o exemplo dos autarcas, em particular os dos maiores municípios – o que é hoje uma “tarefa para ricos ou uma aventura para loucos”.

Segundo o Diário de Notícias, Marques Mendes falava na abertura do painel que discute “O Sistema Político e os portugueses”, no âmbito da 1ª convenção do Movimento Europa e Liberdade (MEL), que está a decorrer esta quinta-feira na Culturgest, em Lisboa.

A intervenção do social-democrata não poupou críticas à Assembleia da República e aos deputados, defendendo que tudo o que se tem passado no parlamento é “assustadoramente deprimente“, “fragiliza a democracia” e “alimenta o populismo”.

Marques Mendes afirmou ainda que a “degradação parlamentar” tem-se acentuado de legislatura em legislatura, em termos “políticos, técnicos, intelectuais e até humanos”.

Para o também comentador político, é cerco que há uma “acentuada perda de valores éticos no exercício da política”, e o parlamento tem uma “lacuna grave”, na medida em que não tem “uma verdadeira comissão de Ética”.

Para exemplificar, usou o polémico assunto das supostas presenças dos deputados para afirmar que “todo o país censurou esses comportamentos, menos a Assembleia da República, que se desdobrou em explicações jurídicas” para um problema que é ético.

O ex-líder do PSD sugeriu que os membros do Governo passem a “submeter-se a um escrutínio parlamentar” antes de tomarem posse, como forma de apurar eventuais impedimentos e incompatibilidades no exercício do cargo.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

17 − eight =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.