Logo paivense
Logo paivense

Programadores detetam falha de software que poderia ter destruído a Bitcoin

Programadores da Bitcoin descobriram uma vulnerabilidade de software que poderia permitir a inserção de um bloqueio na rede. O bloqueio seria capaz de derrubar todo o sistema mundial da moeda virtual.

Frequentemente considerado como a grande referência dentro das criptomoedas (moedas virtuais), o dinheiro baseado no sistema blockchain apresentou uma falha potencialmente desastrosa no software que a suporta.

A moeda virtual funciona através de um sistema blockchain – uma estrutura de dados que representa a entrada da contabilidade financeira ou o registo de uma transação onde cada transação é digitalmente assinada para garantir a sua autenticidade e garantir que ninguém a modifica. Desta maneira as transações podem ser considerados fiáveis.

Depois da atualização fornecida na última quinta-feira pela BitcoinCore – software que alimenta o blockchain da Bitcoin –  um erro descrito como “muito assustador” foi descoberto na Bitcoin.

“Por menos de 70 mil euros, alguém poderia ter deitado abaixo todo a rede“, afirmou Emin Gun Sirer, professor de Ciências da Computação na Universidade de Cornell. “Esta quantia é bem inferior ao valor que muitas entidades pagariam por um ataque de dia zero. Existem muitas pessoas com esta motivação que poderiam ter derrubado o sistema”, acrescentou o professor.

Curiosamente, a vulnerabilidade – ou bug – foi detetada no software de implementação mais conhecido e não no protocolo de execução da própria moeda.

Outras criptocorrências construídas através do código BitcoinCore também foram afetadas. A Litecoin detetou uma vulnerabilidade semelhante mas conseguiu corrigi-la na terça-feira.

Várias análises ao bug, revelam que foi criado como uma “vulnerabilidade de negação de serviço” – um ataque que deixa indisponível, durante um tempo indeterminado, os serviços ou recursos de uma empresa. Esta vulnerabilidade foi introduzida no BitcoinCore numa atualização no ano passado.

Essencialmente, a vulnerabilidade permitia criar um bloqueio ao incluir uma transação que gastava as mesmas moedas duas vezes. Num passo seguinte, este bloqueio poderia ser enviado para toda a rede Bitcoin, “crashando” o software do usuário que recebesse a falha.

Na terça-feira, os programadores lançaram um update para corrigir o problema.

Fonte: ZAP