Logo paivense
Logo paivense

Se tem o sistema imunitário enfraquecido, não faça tatuagens

Num artigo científico publicado recentemente, médicos Reino Unido alertam: pessoas com sistemas imunitários enfraquecidos não devem fazer tatuagens.

Recentemente, uma mulher decidiu fazer uma tatuagem depois de ter recebido um transplante de pulmões. Depois disso, a paciente desenvolveu uma doença crónica que lhe provocava dores na anca, joelho e coxa.

Embora não haja provas de uma causalidade direta, os médicos acreditam que a probabilidade de a doença ter sido causada pela tatuagem é muito grande.

“O momento em que a doença despertou e a localização dos sintomas correlaciona-se com a aplicação da tatuagem e não há outros fatores identificáveis que possam ter causado a patologia”, escrevem os médicos do Hospital Universitário Queen Elizabeth, em Glasgow, na Escócia, citados pelo Público.

Para evitar que o corpo rejeitasse os órgãos, a mulher teve de tomar imunossupressores. Pessoas que tomam este tipo de medicamentos, ou que têm o sistema imunológico fraco (como é o caso dos diabéticos), devem ter preocupações especiais quando colocam a possibilidade de fazer uma tatuagem.

Segundo o Público, a mulher, que já tinha sido tatuada antes do transplante, começou a sentir os sintomas logo após ter sido tatuada. No entanto, nove anos depois, desenvolveu uma dor no joelho e coxa esquerdos e teve necessidade de ser medicada.

As dores atenuaram, mas não desapareceram. Quando fez uma biopsia ao músculo da coxa, os médicos repararam que a paciente tinha miopatia inflamatória (inflamação crónica no músculo). Neste caso, os médicos acreditam que a doença está relacionada com o processo da tatuagem.

Embora ainda não seja certo, os médicos referem, no estudo publicado este mês na BMJ Case Reports, que a tinta utilizada pode causar uma reação, que varia entre uma irritação ligeira e infeções generalizadas.

As partículas de tinta chegam até aos gânglios linfáticos – glândulas que pertencem ao sistema imunitário – e podem mesmo comprometê-lo.

Assim, os médicos que escreveram o artigo científico sugerem que a regulamentação da indústria das tatuagens seja melhorada, para que as reações adversas sejam, portanto, evitadas.