Logo paivense
Logo paivense

Sessão solene com a participação da Câmara e Assembleia Municipal na abertura de mais uma edição dos Jogos Desportivos

Uma sessão solene com a participação da Câmara e Assembleia Municipal e a abertura de mais uma edição dos Jogos Desportivos, foram as principais iniciativas que marcaram, na tarde de ontem, os festejos comemorativos do 47º aniversário do 25 de Abril em Castelo de Paiva, organizados pela autarquia local.

Nesse sentido, a Câmara Municipal de Castelo de Paiva concretizou o programa das comemorações do 25 de Abril, agendando diversas actividades para o feriado nacional que, como é habitual, integrou as cerimónias de abertura dos Jogos Desportivos, que este ano contabilizam a sua 35ª edição.

Ao inicio da tarde, houve “ Musica de Abril “, e no espaço do Auditório Municipal, em Sobrado, realizou-se uma Sessão Solene das Comemorações de Abril, presidida por Gouveia Coelho, e orientada para os 47 anos da Revolução de Abril, que este ano foi associado ao tema “ 25 D’Abril e o Poder Local “, onde para além das intervenções políticas, registou-se vários momentos musicais interpretados por alunos da Academia de Musica.

                Almiro Moreira, em representação do Partido Social Democrata, referiu que hoje, tal como os que em Abril de 1974 sonharam mudar Portugal para um país mais próspero, mais livre e mais igualitário, também eu sempre sonhei ver Castelo de Paiva mudar para uma terra onde seja possível viver com mais dignidade, mais saúde física e ambiental , melhores salários e emprego mais qualificado.

Este membro da Assembleia Municipal evidenciou o sonho de ver mudar o paradigma dos “ coitadinhos “, com que apelidam a terra de Paiva, e fazer do concelho uma terra onde todos tenham futuro, nomeadamente os jovens licenciados, insistindo no sonho de ver mudar a diplomacia económica local e apoiando o investimento e a criação de riqueza e a diversidade de emprego, tal como ver mudar a aposta na formação profissional, direccionando-a para o mundo empresarial, e a estratégia da preservação ambiental para que os nossos rios não sejam poluídos por falta de saneamento básico, assim como a exigência de habitação condigna para todos, lutando contra a taxa de abandono escolar que o concelho ainda apresenta, e o sonho de ter melhores acessibilidades e mobilidade ao serviço dos paivenses.

                Manuel Mendes em representação do Partido Socialista, ousou fazer uma curta análise das quase 5 décadas da Revolução dos Cravos, e o que subsiste da herança desse legado, referindo um Portugal que superou oscilações políticas, crises económicas, que se uniu à Europa, que apostou numa modernização e digitalização. Um Portugal que cresceu e que, apesar dos percalços típicos de um amadurecimento, é, em muitas e variadas áreas, um exemplo para todo o mundo, sendo que, foi nas conquistas das minorias que conseguimos distinguir, de forma mais clara, Abril: os mais frágeis, desprotegidos e renegados ganharam espaço numa sociedade mais íntegra, agregadora, progressista e igualitária a nível de oportunidades.

                No Poder Local, sublinhou este membro da AM, vemos a democracia a funcionar em plenitude, olhamos para este ano 2021 com as agregações de vontades para apresentações de candidaturas aos órgãos autárquicos. Vemos a democracia a funcionar e perguntamos quantos mais exemplos queremos ver para fazer acreditar os mais cépticos que a democracia é o mais equitativo sistema de representação e de governação do bem publico, evidenciando depois que, a história, registou a nossa capacidade de ultrapassar as adversidades, contra a pandemia e contra as desigualdades, por isso, não olhemos hoje a ideologias, e aproveitemos a oportunidade para combater a pandemia, combater o populismo e aplicarmos eficientemente o Plano de Recuperação e Resiliência, a Bazuca Europeia. Será a melhor forma de assegurar os valores de Abril: a democracia, a igualdade e, acima de tudo, a liberdade…

         Já o presidente da Câmara Municipal lembrou as conquistas de Abril, que trouxe o principio da igualdade, permitindo a todos o acesso à educação, aos serviços de saúde e à justiça, numa democracia participativa onde o estado social merece ser realçado, e onde o Poder Local se traduziu numa mais valia para alavancar o país e concretizar mais progresso e desenvolvimento, realçando depois, a responsabilidade como um valor importante no exercício de qualquer função pública, o prestar contas, o chegar ao fim de uma missão e verificar que cumprimos os objectivos assumidos, referindo que, o discurso é fácil, o populismo entra nas nossas casas, mas nunca se pode esquecer de ouvir as pessoas, perceber os seus problemas e procurar as melhores soluções para os resolver.

         Gonçalo Rocha frisou que o valor do humanismo é dos mais importantes na vivência democrática, porque importa ser autêntico, ser eficaz e fazer as pessoas felizes, destacando a alegria de sentir que tem sido prestado um bom serviço à população, sublinhando que o exercício das funções autárquicas e do Poder Local foi das melhores coisas que deu o 25 de Abril, permitindo a politica de proximidade, porque nos motiva e dá animo para conseguir investimento e trabalhar pela nossa terra, estar ao lado das pessoas, aproveitando o edil para prestar homenagem a todos que dão o melhor de si nesta difícil missão pública.

        Depois de se congratular por ter conseguido pôr as contas em dia na Câmara Municipal, garantindo um novo rumo para o concelho, o autarca paivense não deixou abordar o sucesso da participação europeia na politica nacional e evidenciou a sua satisfação de ver contemplados no Plano de Recuperação e Resilência, proposto pelo governo português, três importantes obras para o desenvolvimento do concelho, o IC 35 na ligação à A4, a conclusão da Variante à EN 222 ao nó de Canedo da A32 e o plano da Estratégia Local de Habitação, no âmbito do Programa 1º Direito, investimentos que totalizam um custo de mais de 130 milhões de euros até 2026.        

         Começando por dizer que Abril não é um peça de museu, e que é preciso entender os sinais e os frutos que nos deixou, Gouveia Coelho não deixou de lembrar erros, limitações e tristes figuras que mancharam os ideais de Abril, aqueles que colocam os interesses pessoais acima do interesse público, a vaidade pessoal,  o exagero do Eu e a escassez do s, outros pontos negros e menos positivos que não tornam os cravos vermelhos mais bonitos

         O presidente da Assembleia Municipal falou na descrença que ainda paira sobre esta democracia, recusando que todos são corruptos, considerando essa ideia indecente, porque felizmente a maioria não é assim, porque existe gente séria e honesta ao serviço da vida publica e pediu aos mais jovens que não deixem morrer o 25 de Abril, aceitando o testemunho daqueles que outrora viveram um período mais negro da historia portuguesa, ao mesmo tempo que insistiu na valorização do Poder Local, já que muito mudou depois de Abril de 1974, com a chegada da autonomia financeira e as políticas de proximidade, que tiveram um grande impacto na melhoria das condições de vida das populações, destacando Joaquim Quintas e Joaquim Castro, autarcas já falecidos, como figuras ímpares da democracia em Castelo de Paiva.

      Ao final da tarde, foi concretizada a abertura dos XXXV Jogos Desportivos, uma iniciativa municipal que se prolonga até ao final de Setembro e que todos os anos movimenta centenas de atletas de todas as freguesias do concelho.

Toda esta envolvência e este dinamismo cultural associativo, tal como referiu José Manuel Carvalho, é uma força representativa das colectividades que, com sucesso e orgulho, marcam presença e continuam a valorizar e a prestigiar o concelho e esta grande iniciativa, anualmente desenvolvida pela edilidade paivense.

O vereador do Pelouro do Desporto e Cultura da edilidade paivense, recordou a génese deste grande evento, fruto do trabalho conjunto de diversas colectividades, que tiveram a feliz ousadia de avançar com esta iniciativa em 1987, e falou também das conquistas de Abril, também evidenciadas nos sectores do desporto e cultura, realçando o trabalho louvável, empenhado e dedicado de tantos dirigentes que, no concelho, e a troco de nada, dão o seu contributo para esta dinâmica do movimento associativo local, já reconhecida fora do concelho.

A cerimónia serviu para a Câmara Municipal prestar homenagem a três vencedores da edição primeira dos Jogos Desportivos, nomeadamente a Domingos Carvalho no atletismo, Manuel Botelho no ciclismo e Luís Freitas no futebol, sendo que, a abrilhantar esta abertura estiveram no Auditório Municipal, a Companhia de Dança Girassol e a Banda Marcial de Fornos, este ano a festejar o seu 112º aniversário, bem como a participação do Grupo Columbófilo de Castelo de Paiva.