Mário Cruz / Lusa

Lesados do BES em confrontos com a polícia num protesto em frente à sede do Novo Banco

Depois das várias manifestações a pedir o reembolso do dinheiro que lhes foi roubado, os lesados do BES querem agora adquirir o estatuto de vítima, e assim terem acesso a indemnizações mensais compensatórias.

De acordo com uma notícia do Expresso, cerca de 1600 lesados do BES estão a avançar com requerimentos para terem direito ao estatuto de vítima. Desta forma pretendem adquirir indemnizações que deverão ser pagas em prestações mensais. Os lesados argumentam estar a passar por uma situação financeira bastante frágil.

“Os danos patrimoniais estão (previstos) na lei. E como estão na lei, vamos lutar até ao fim pela atribuição do estatuto”, justifica Nuno Vieira da Silva, advogado dos lesados do BES.

O advogado garante que se o tribunal aceitar os requerimentos, irá ser feito o pedido de atribuição de pensões mensais para evitar que as pessoas que se encontram numa situação financeira mais débil, fiquem anos à espera de indemnizações – revela o Expresso.

Nuno Viera da Silva diz que se trata de “uma estratégia que possa dar resultados em dois, três anos”, uma vez que só a parte criminal do processo “pode demorar duas décadas”. A possibilidade de uma indemnização provisória, a mando do tribunal, está prevista no Código Penal.

Os cálculos das indemnizações ainda estão a ser feitos, mas o advogado dos lesados adianta que os valores das indemnizações irão rondar, em média, os 90 mil a 135 mil euros por cada pessoa. “Depois dos primeiros dois anos vamos pedir que a indemnização suba 5% por cada 12 meses de atraso”, remata Nuno Vieira da Silva à revista Sábado.

Em julho, o advogado já tinha avisado que ia avançar com ações a exigir indemnizações às pessoas e entidades acusadas no caso BES, sobretudo a Ricardo Salgado.


Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

16 − seven =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.