Logo paivense
Logo paivense

Sucesso contabilizado em três dias de festa louca na 21ª Feira do Vinho Verde, Gastronomia e Artesanato

Apesar da instabilidade climatérica que se fez sentir, foram três dias de intensa animação, com milhares de visitantes a passar por Castelo de Paiva, no âmbito da 21ª Feira do Vinho Verde, Gastronomia e Artesanato, que continua a ser uma aposta forte da CM de Castelo de Paiva,  num certame de nível nacional cada vez mais reconhecido, este ano com um novo figurino, mais atractivo e funcional, mas mantendo o objectivo inicial, relacionado com a valorização da produção vitícola do concelho, promovendo o produto agrícola mais conhecido e premiado da Sub Região de Paiva.

O tempo chuvoso que se fez sentir não tirou brilho a esta mostra vitícola da Sub – Região de Paiva que voltou a ter uma excelente adesão, contabilizado mais um êxito pela autarquia paivense, conforme evidenciou ontem, em jeito de balanço, o autarca socialista Gonçalo Rocha, que se congratulou com mais de duas décadas de feira e não se cansa de enaltecer a qualidade dos vinhos verdes das Terras de Paiva e o empenhamento dos agricultores paivenses que se dedicam cada vez mais, com forte empenhamento e gosto, ao sector da vinha.

Na cerimonia de abertura, realizada nos Paços do Concelho, ao lado do edil paivense Gonçalo Rocha, esteve presente o comentador politico e ex ministro das obras públicas, Jorge Coelho,  assim como Mari Paz Martinez, Alcadesa de Fabero del Bierzo, para além do presidente da Assembleia Municipal, Gouveia Coelho, do presidente da Associação Comercial e Industrial, Arlindo Alves, responsáveis da CIM do Tâmega e Sousa, bem como entidades militares, religiosas, dirigentes associativos e escolares, entre outras personalidades e convidados.

INTERCAMBIO ESCOLAR ENTRE CASTELO DE PAIVA E FABERO PARA BREVE

 Depois da intervenção de Gouveia Coelho, presidente da Assembleia Municipal, que saudou as entidades presentes e enalteceu esta iniciativa municipal com 21anos de existência, destacando o crescimento notável que a feira tem tido e que está cada vez mais referenciada a nível nacional, evidenciando também o trabalho e a dedicação dos produtores locais que se dedicam com alma ao sector da vinha, destacou-se Mari Paz Martinez, que lidera o executivo de Fabero del Bierzo, município que está geminado com Castelo de Paiva desde 1995, evidenciando a sua imensa satisfação por voltar a Castelo de Paiva, mostrando-se impressionada com a grandeza e a dinâmica desta iniciativa municipal, referindo estar encantada que estes dois povos ibéricos, unidos por interesses comuns, possam seguir em frente, realizando iniciativas de grande valor cultural e partilhar experiencias e estratégias de governação, fortalecendo cada vez mais, estes laços de afecto e de amizade, que tem sido evidenciados ao longo de mais de duas décadas de bom relacionamento institucional, permitindo que esta geminação continue a ser um sucesso.

     Evidenciando a necessidade de conhecer novas realidades e experiências municipais, a autarca espanhola deixou mesmo o convite ao responsável da edilidade paivense para que, nos próximos meses, se possa assumir uma parceria entre os dois municípios e os agrupamentos escolares, de forma a potenciar a realização de um intercâmbio escolar entre alunos dos dois concelhos, consolidando mais a aproximação entre os povos e o fortalecimento de laços de amizade e cooperação que continuam a unir Castelo de Paiva e Fabero del Bierzo

                 Por sua vez, o presidente Gonçalo Rocha destacou a feira “ como um acontecimento de grande impacto e significado, um momento auspicioso para esta terra de gente humilde e trabalhadora, um certame em boa hora conseguido, pela dinâmica que imprime à agricultura, à economia e à cultura local, sendo um marco na vida do município e motivo de sobra para que nos possamos sentir felizes por receber milhares de visitantes e cativá-los a regressar em breve “.

Referindo que, esta é uma feira trabalhada com carinho, um momento único de celebração da terra de Paiva, o autarca paivense mostrou-se feliz pela nova formatização do certame, que se apresenta mais atractivo e funcional, e insistiu na tónica de que, o vinho verde está na moda, sendo cada vez mais apreciado, evidenciando depois,  a sua satisfação pela projecção que o evento já atingiu com 21 anos de realização consecutiva, ao afirmar-se cada vez mais na região dos vinhos verdes, realçando ainda que o certame, “ para além de ser um reconhecimento público aos agricultores paivenses que se dedicam de “ corpo e alma “ ao sector da vinha, representa uma excelente oportunidade de promoção e de negócio, um momento único para apreciar vinhos de superior qualidade, cada vez mais premiados, bem como divulgar a excelente cozinha regional, a beleza do artesanato local, a doçaria tradicional, ao mesmo tempo dar a conhecer as potencialidades turísticas de uma terra que tem o gosto e o hábito de bem receber “.

Referindo que este é esforço enorme que vale a pena, que motiva o sentido de entre ajuda e de cooperação, Gonçalo Rocha realçou a dinâmica vitícola que o concelho já apresenta, insistindo na necessidade de continuar a investir na qualidade, aumentar a competitividade, ganhar visão de mercado e realçar sempre o factor humano, como etapas necessárias na continuidade do objectivo definido pela reconversão da vinha, incentivando os produtores a valorizar e modernizar a sua produção e a promover melhor o produto mais conhecido e premiado da região, enaltecendo com redobrado gosto os prémios importantes que a Sub Região de Paiva têm sido conseguidos ao longo de anos .

                O edil aproveitou o momento para falar na visão estratégica  “ Viver o Paiya Douro “, assumida ao nível da promoção dos recursos naturais, contextualizando a importância da valorização e requalificações das zonas ribeirinhas do concelho e o investimento que está a ser concretizadode apetecível interesse turístico, que será complementarizado com os Percursos Pedestres, associados aos rios, serras, vinhas e os fósseis e as minas, num projecto ambicioso, gizado para trazer gente ao território, dinamizar uma terra com imensas potencialidades no turismo de natureza e alavancar a economia local, procurando valorizar o município, criar riqueza e atrair visitantes que se apaixonem pelo concelho e pela sua oferta turística, assim como também falou de acessibilidades e da importância dos esforços que estão a ser desenvolvidos pelo actual Governo para a conclusão urgente da Variante à EN 222, cujo projecto de execução poderá ir a concurso muito em breve, contemplando os 9 km que faltam na ligação à A32 em Canedo, bem como a totalidade da construção do IC 35 ligando este concelho ao nó da A4 em Penafiel, conseguindo-se assim, uma mobilidade satisfatória que ajude a projectar o concelho, a atrair investimento e a criar riqueza e maior dinâmica empresarial.

          Deixando uma saudação especial aos visitantes, que no âmbito da X Concentração Nacional de Autocaravanas rumaram ao concelho, bem como uma palavra de agradecimento a todos os expositores e à Associação Comercial e Industrial de Castelo de Paiva, pela parceria estabelecida e envolvimento no certame, Gonçalo Rochareferiu-se à cultura da vinha e ao enoturismo como fundamental para o desenvolvimento turístico do concelho, e abordou os projectos que estão em curso, nomeadamente a valorização das zonas ribeirinhas, a criação de percursos e trilhos junto ao rios Douro e Paiva, não esquecendo a importância de valorizar os produtos endógenos, osrecursos patrimoniais, culturais, gastronómicos e etnográficos que o concelho apresenta e que, a par da sua beleza paisagística, são a mais valia para o incremento turísticoque se deseja ver concretizado no concelho, onde a marca Casa de Payva é um símbolo de afirmação que importa continuar a dinamizar.

     Sensibilizado pela simpatia do convite que lhe foi dirigido, Jorge Coelho mostrou-se surpreendido pela grandeza do certame e pela dinâmica dos produtores de vinho verde nesta região, falando da necessidade de se combater a desertificação, unir esforços em defesa da valorização do interior, contrariando as assimetrias, criando melhores condições e melhor nível de vida para quem está longe dos grandes centros, considerando ser importante lutar pela coesão territorial, atalhando que, “ sem luta não vamos a lado nenhum “, porque não se pode continuar a assistir de ânimo leve às grandes desigualdades entre o litoral e o interior.

     O ex. governante e conhecido comentador politico abordou depois da sua actividade empresarial no sector da produção de queijo da serra, realçando o espírito e o conceito do empreeendedorismo, associando formas de motivar a comunidade para a valorização do território, dos produtos endógenos e criação de riqueza e postos de trabalho, deixando a ideia de um feliz “ casamento “ entre os melhores vinhos verdes e os melhores queijos da serra, num aguçar de apetites e sabores.

TRÊS DIAS DE FESTA PARA DESPERTAR APETITES E SABORES

         A iniciativa que, para além de dar a conhecer os afamados vinhos de qualidade produzidos em Castelo de Paiva, com destaque para os premiados que, ano após ano, são distinguidos nos concursos nacionais, contou com outras actividades paralelas, como a apresentação da excelente gastronomia paivense e doçaria tradicional, uma demonstração do artesanato local, tudo estruturado em três dias de grande animação, onde não faltaram espectáculos musicais, o folclore local e a música tradicional portuguesa, para além de outras atracções que enriquecem o programa apresentado pela edilidade paivense.

Esta foi a oportunidade única de apreciar os vinhos dos produtores da Sub-Região do Paiva, muitos deles já premiados ao nível dos concursos da Comissão Regional de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes – CRVRVV, degustar a saborosa cozinha regional paivense, e ao mesmo tempo, ficar a conhecer a riqueza do trabalho dos artesãos do concelho, sem esquecer um programa lúdico, gizado para garantir uma saudável convivialidade nos três dias do certame, que este ano teve espectáculos musicais com Agrupamentos Nova Som Band, Pé de Dança, Karisma, Novo Show, Populares Bairristas, Tuna da Faculdade de Medicina do Porto, Paulo Soares, Ricardo Ramalho Festa Total e Amigos da Sexta, para além da animação de rua com a participação dos ranchos folclóricos do concelho, Bando das Gaitas,Cavaquinhos de S. Féliz da Marinha, Postas de Bacalhau, Amantes do Rio Douro, Bombos de Meixomil, entre outras actuações..

Depois da sessão solene e da cerimónia de abertura da feira, e concretizada a habitual ronda pelas tasquinha, restaurantes e expositores, o certame acolheu asprimeiras “provas de vinho”e as “jornadas gastronómicas ”, privilegiando-se pratos locais e as especialidades mais conhecidas da região, a par da doçaria tradicional do concelho, onde o afamado pão-de-ló é sempre uma referência a ter em conta.

Na noite de Sexta-feira, a animação esteve a cargo dos Ranchos Folclóricos de S. Martinho e Nossa Senhora das Amoras, para além da actuação do grupo Bando das Gaitas, dos Cavaquinhos de S. Félix da Marinha e da Tuna da Faculdade de Medicina do Porto, registando se a realização de baile popular com o grupo musical “Karisma “seguindo-se um grande espectáculo musical com o Grupo Nova Som Band no palco principal, que manteve os resistentes a dançar pela madrugada fora.

Já no Sábado, o melhor da cozinha tradicional paivense voltou a estar em evidencia à hora do almoço e jantar, com tempo para as provas dos novos vinhos e espumantes da Sub-região de Paiva, , seguindo-se à noite a actuação do Rancho Folclórico de Castelo de Paiva, e a actuação do grupo “ Postas de Bacalhau “, acontecendo bailes populares com a presença dos agrupamentos “ Populares Bairristas ”  e “ Novo Show”, assim como a participação da Tuna Académica, terminando a jornada festiva com actuação do agrupamento musical “ Pé de Dança  “ no palco principal.

No Domingo, ultimo dia da feira, o certame abriu de manha cedo com os Bombos Independentes de Meixomil, e habituais provas de vinhos e as jornadas gastronómicas foram animadas com a presença do Rancho Folclórico de Bairros, realizando –se o 5º Encontro de Concertinas, sendo a tarde será preenchida com a emissão da RTP com o programa Aqui Portugal, para além da animação com os Amantes do Douro, e baile popular com musica tradicional com os Amigos da Sexta, e de Paulo Soares, sendo que Ricardo Ramalho trouxe a Festa Total, com um grande convívio de encerramento, denominado com um participado baile dos resistentes.

Neste evento, e que marcou também a realização da X Concentração de Caravanas, localizada no Parque da Feiraestiveram presentes 10 produtores de marca e 5 produtores individuais, para além de 5 restaurantes e diversos espaços dedicados ao sector do fumeiro e dos enchidos, bem como à doçaria regional paivense, aoartesanato e às próprias autarquias do concelho, com José Manuel Carvalho, vereador responsável pela iniciativa, a mostrar-se satisfeito pela adesão conseguida, ultrapassando as oito dezenas de expositores e fazendo questão de realçar a vontade e o empenhamento de todos para o engrandecimento deste evento que, na sua opinião, “ já é uma referência Nacional, atraindo milhares de visitantes, muitos deles do estrangeiro, evidenciando-se o nosso potencial para projectar o município de Castelo de Paiva aos mais diversos níveis ”.

No espaço do Largo do Conde, numa zona ampla e acolhedora, o convite para três dias de grande festa voltou a orientar para o despertar de apetites e sabores, numa jornada de estratégia promocional, ajustada ao prestígio por todos reconhecido, dos excelentes vinhos da Sub-Região de Paiva, neste caso com o complemento das famosas iguarias paivenses, a justificar a vinda de milhares de visitantes a este certame, cada vez mais referenciado no panorama nacional, que impressionou os políticos de Fabero pela sua grandeza e capacidade organizativa.