Empenhada em aumentar a eficiência energética, reduzindo os consumos de energia elétrica, a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa) implementou no seu edifício-sede, em Penafiel, um conjunto de soluções de reabilitação energética.

Tratou-se de um projeto-piloto realizado no âmbito do Rehabilite – Plataforma Transnacional de Apoio ao Financiamento em Reabilitação Energética, um consórcio europeu na área da eficiência energética, que conta com a CIM do Tâmega e Sousa como parceiro.

Entre as medidas implementadas estão a instalação de um sistema fotovoltaico para a produção de energia elétrica no modo de auto-consumo e a substituição da iluminação existente, do tipo convencional, por iluminação LED, que vão permitir atingir uma redução anual do consumo de energia elétrica em cerca de 60% e uma redução anual nas emissões de CO2 em cerca de 6,45 toneladas por ano.

Estas soluções estão, assim, em linha com o preconizado pelo projeto Rehabilite, uma iniciativa cofinanciada pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), através do programa Interreg Sudoe 2014-2020, e cujo objetivo passa por promover a melhoria das políticas de eficiência energética e a utilização de fontes de energia renováveis em edifícios públicos e privados, através do desenvolvimento de instrumentos financeiros, assentes em fundos comunitários, destinados especificamente à reabilitação e promoção da sustentabilidade energética dessas construções.

A par da CIM do Tâmega e Sousa, integram o consórcio mais oito parceiros, provenientes de seis regiões de três países europeus: Agencia Extremeña de la Energia (Comunidade Autónoma da Extremadura, Espanha), entidade líder do consórcio, Navarra de Suelo y Vivienda, S.A. (Comunidade Foral de Navarra, Espanha), Región de Murcia – Consejería de Desarrollo Económico, Turismo y Empleo – Dirección General de Energía y Actividad Industrial y Minera (Região de Múrcia, Espanha), Fundación Laboral de la Construcción (Comunidade Autónoma de Madrid, Espanha), Lisboa E-Nova – Agência de Energia e Ambiente de Lisboa (Área Metropolitana de Lisboa), École d’Ingénieurs en Génie des Systèmes Industriels (Nova-Aquitânia, França), Pôle CREAHd (Nova-Aquitânia, França) e Communauté d’Agglomération Grand Angoulême (Nova-Aquitânia, França).