Logo paivense
Logo paivense

Tecnologia de partículas (também usada na EEI) confirma a autenticidade de uma obra de Rafael

ESA

“A Virgem e Menino” da autoria de Rafael

A pintura da Virgem com o Menino da autoria de Rafael foi dada como autêntica através de uma tecnologia de física de partículas. A pintura que conta com cerca de 500 anos foi atribuída ao pintor renascentista, mas durante a história surgiram dúvidas sobre o seu autor e sobre a sua autenticidade.

A história da pintura da Virgem com o Menino abrange algumas das maiores figuras históricas da Europa, bem como lutas violentas e lucrativos negócios de arte. Encomendada pelo Papa Leão X, passou pelas mãos da família real francesa e de Napoleão. No entanto, no final do século XIX a pintura desapareceu e agora faz parte de uma coleção particular.

O facto de Rafael ter sido o criador da obra-prima foi confirmado por estudos de especialistas de todo o mundo, bem como por um conselho consultivo internacional. A InsightART, uma empresa sediada no centro de incubação de empresas da ESA em Praga, que usa tecnologia de deteção cósmica para examinar obras de arte, veio agora confirmar esta teoria.

O scanner robótico de raio X do InsightART já tinha sido usado para identificar uma pintura desconhecida de Vincent van Gogh. A máquina usa um detetor de partículas desenvolvido no CERN, o laboratório europeu de física de partículas, que foi reaproveitado para a exploração espacial e fabricado pela empresa checa ADVACAM.

“Esta tecnologia, que também é usada para medir a radiação na Estação Espacial Internacional, é capaz de detetar fotões individuais, além de estabelecer o comprimento de onda exato”, explica Josef Uher, diretor técnico da InsightART, num comunicado.

Uher indica que “enquanto a máquina de raio-X padrão cria apenas uma imagem a preto e branco, o scanner RToo fornece imagens de raios-X coloridas, ou espectrais, que permitem que os materiais se destaquem com base na sua composição elementar“.

A obra de arte foi digitalizada com grande detalhe, desde as camadas de base até aos esmaltes finais, revelando a estrutura interna da pintura de Rafael de forma minuciosa, diz o Ciencia Plus.

“Durante esse processo, ficou claro que a obra foi executada por Rafael, sem a ajuda dos seus assistentes de oficina e aprendizes”, garantiu Jirí Lauterkranc, restaurador de arte e co-fundador do InsightART.