Logo paivense
Logo paivense

Venda de vinhos alentejanos para a Suécia disparou (e foi graças à pandemia)

LexnGer / Flickr

Nunca se tinham vendido tantos vinhos alentejanos para a Suécia como durante o período de confinamento em Portugal. A estratégia menos restritiva dos suecos contra a covid-19 ajuda a explicar esse cenário, verificando-se a mesma tendência no Reino Unido.

As vendas de vinho alentejano para a Suécia e para o Reino Unido cresceram 118% e 73%, respectivamente, nos primeiros sete meses de 2020.

Um dado apurado pelo Jornal de Negócios junto do presidente da Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), Francisco Mateus.

“Com a pandemia estamos a ter um desempenho muito bom no Reino Unido e na Suécia, onde não houve um confinamento tão apertado como em Portugal e noutros países do Sul da Europa, por exemplo”, aponta Francisco Mateus, notando que “já estávamos todos confinados e nesses dois locais a vida parecia levar alguma normalidade”.

“Até Julho já superámos o total das vendas do ano passado e as vendas têm-se sucedido”, aponta o mesmo responsável que sublinha que a região manteve valores da exportação na ordem dos 32,2 milhões de euros nos primeiros sete meses do ano.

No ranking das exportações de vinho alentejano, o Reino Unido subiu da 13ª para a 9ª posição, enquanto a Suécia passou do 20º para o 13º lugar.

Os principais exportadores de vinhos do Alentejo continuam a ser o Brasil e a Suíça.

De destacar ainda a queda das exportações para Angola e para os EUA, bem como o travão nas importações da Rússia e da China, com uma quebra de 54% e de 27% respectivamente.

Para a vindima deste ano, a CVRA estima um aumento de 5% na produção, com a expectativa de que será “um ano de bastante qualidade“. Mas a entidade também prevê uma quebra nas receitas, muito por culpa da pandemia.


Fonte: ZAP