Logo paivense
Logo paivense

10 de junho. Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades

Uma data comemorativa tradicional em terras lusitanas é o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades. Jornalista português Francisco Reis revela a importância destas celebrações para o país.

Francisco Reis

Datas especiais sempre são aguardadas ansiosamente pelo povo da região onde são celebradas. Além das tradicionais celebrações comuns no calendário mundial, existem algumas que são marcantes para o povo daquela região onde é comemorado.

Do outro lado do Atlântico, por exemplo, em 10 de junho é o dia em que se comemora o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Para quem não conhece, é um momento em que a mídia abre um espaço extra para os festejos. Segundo o partner da Guess What, empresa de comunicação portuguesa, Francisco Chaveiro Reis, a mídia daquele país aproveita a oportunidade para lembrar um dos maiores poetas da língua portuguesa. “10 de junho é a data da morte de Luís Vaz de Camões (ele morreu em 1580), e é o momento também de recordar as comunidades portuguesas espalhadas por todo o mundo. É importante considerar que Portugal tem sido, nos últimos cem anos, um país com vários fluxos de emigração para a Europa, América do Sul e América do Norte”.

A data é tão importante é que as solenidades organizadas pelo poder público ganham destaque na imprensa de lá. “O foco dos jornalistas está sempre na cerimônia que celebra o dia e que sempre conta com a presença do Presidente da República e do Primeiro Ministro, entre outras pessoas de destaque. O que os jornalistas pretendem ouvir, mais do que tudo, são os discursos que são ditos nas cerimónias e daí tirar conclusões políticas”, revela Francisco.

Para 2021, as comemorações serão diferenciadas, detalha o jornalista. “Este ano, as comemorações vão ser na Ilha da Madeira e na Bélgica, algo que estava previsto para o ano passado. Este modelo, com comemorações divididas e fora da capital, Lisboa e, ao mesmo tempo fora do país, junto de comunidades portuguesas, foi implementado pelo atual presidente da República, que sabe bem a importância do simbolismo e que assim aproximou o Estado das tais comunidades que dão nome ao dia”.

Diante de um cenário tão difícil para todos, em que a pandemia transformou hábitos e mudou vidas de todo o mundo, o presidente Marcelo Rebelo de Sousa quer aproveitar a oportunidade para homenagear os profissionais de saúde. “A médica Carmo Caldeira, diretora do serviço de cirurgia do Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, vai presidir a comissão organizadora das comemorações deste ano. É uma forma do presidente mostrar demonstrar essa consideração a todos aqueles que estão atuando na linha de frente no combate ao vírus”.

Enquanto a população já se prepara celebrar o dia 10 de junho, o jornalista Francisco Reis lembra que os discursos das autoridades já estão sendo aguardados com ansiedade pelos portugueses: “É um momento muito aguardado por todos, e tenho certeza de que a pandemia estará no centro de tudo que for dito na oportunidade”, completa.