Logo paivense
Logo paivense

Descoberta uma rara múmia intacta dentro de um “caixão” de algodão

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=GeMwwPjEcII?feature=oembed&w=700&h=394]

Uma equipa de arqueólogos belgas encontrou, no Peru, uma múmia de cerca de 1.000 anos de idade dentro de uma espécie de caixão vertical feito de algodão. A descoberta foi realizada em Pachacamac, um sítio arqueológico costeiro perto de Lima.

Este achado arqueológico efectuado por investigadores da Universidade Livre de Bruxelas, na Bélgica, está associada à cultura Ichma que existiu na costa central do Peru entre 900 e 1470 depois de Cristo, de acordo com o comunicado divulgado.

“O defunto ainda está embalado no enorme pacote funerário que lhe serve de caixão”, salienta o director das escavações, Peter Eeckhout.

“Acreditamos que o enterro tenha tido lugar entre os anos 1.000 a 1.200 da nossa era”, explica também Eeckhout, notando que “as descobertas desta natureza são raríssimas” e que “o estado de conservação é excepcional”.

Em sítios arqueológicos vizinhos foram descobertos corpos envoltos de forma similar e enterrados de cócoras, mas também foram encontrados em posição fetal.

A equipa de investigadores planeia agora estudar o conteúdo do “caixão” recorrendo às “mais modernas técnicas de imagiologia médica“, nomeadamente a métodos como raios X, tomografia axial, reconstrução tridimensional e outras técnicas não invasivas, explica-se no comunicado referido.

A intenção dos arqueólogos é descobrir, nomeadamente, “eventuais patologias”, bem como “oferendas escondidas no caixão”, sem danificar a múmia.

Na mesma câmara funerária do santuário onde foi encontrada a múmia, foram descobertas oferendas como vasos, cães e outros animais, e também conchas do Equador.

“Estas descobertas confirmam o papel de Pachacamac como local de culto para as antigas populações locais, antes de os Incas transformarem o sítio no grande centro de peregrinação imperial no final do Século XV”, explicam os investigadores.