Logo paivense
Logo paivense

Já são conhecidas as caras do Aliança, o partido de Santana Lopes

Mário Cruz / Lusa

O Aliança já anunciou os nomes que compõem os três órgãos transitórios: o Conselho Político Estratégico, a Comissão Instaladora Nacional e a Comissão Organizadora do Congresso.

Foi através de o Facebook que o Aliança anunciou os nomes que compõem os órgãos transitórios do partido. Segundo o Jornal i, o Conselho Político Estratégico, a Comissão Instaladora Nacional e a Comissão Organizadora do Congresso vão estar no comando até à realização do primeiro congresso do Aliança, marcado para os dias 9 e 10 de fevereiro.

Destes três órgão vão fazer parte vários ex-militantes do PSD, como, aliás, Pedro Santana Lopes já havia adiantado. Mas não só: no total de 38 nomes anunciados há figuras do CDS, do Partido Popular Monárquico e caras conhecidas do antigo primeiro-ministro dos tempos na Santa Casa da Misericórdia.

Dos ex-sociais-democratas, António Martins da Cruz é o nome mais sonante e irá ocupar o cargo de presidente do Conselho Político Estratégico. Martins da Cruz, ex-ministro dos Negócios Estrangeiros, desfilou-se do PSD no final se setembro, altura em que enviou uma carta ao partido onde deixava várias críticas à direção de Rui Rio.

Na mesma altura, Luís Cirilo, antigo deputado e secretário-geral adjunto do PSD, também deixou o partido em divergência com o “posicionamento autoritário perante militantes que se exprimem em liberdade”. Agora, o seu destino passa por ser o número dois da Comissão Instaladora Nacional da Aliança, atrás de Santana Lopes.

Também da Comissão Instaladora Nacional fará parte Carlos Pinto, ex-deputado e antigo autarca social-democrata da Covilhã, que é, assim, o terceiro nome. Mais abaixo, em sétimo lugar, surge aparece João Pessoa e Costa, o ex-membro da Assembleia de Freguesia de Alvalade que em agosto se desfiliou do PSD para acompanhar Santana.

Em oitavo lugar, avança o Jornal i, está Alexandre Poço, que foi deputado pelo PSD entre 2005 e 2009.

Mas o Aliança não é só feito de antigos sociais democratas, pelo que Santana foi também buscar alguns nomes ao CDS: é o caso de Margarida Netto, ex-deputada centrista que surge agora em décimo lugar da Comissão Política Nacional.

Do Partido Popular Monárquico, o advogado Pedro Quartin Graça foi escolhido para número dois do Conselho Político Estratégico. Já entre os nomes independentes, destaca-se Tiago Sousa Dias, o especialista em Assuntos Europeus que em agosto escreveu uma crónica no Público intitulado “Onde cabe o partido Aliança na Europa?”.

Da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Paulo Bento, ex-assessor da instituição, foi o escolhido para presidir à Comissão Organizadora do Congresso, e Ricardo Alves Gomes, que até maio era administrador da Santa Casa, ocupa o quinto lugar da Comissão Instaladora Nacional.

Fonte: ZAP