Logo paivense
Logo paivense

Novo Banco põe à venda carteiras de malparado (e têm nomes de jogadores de râguebi)

José Sena Goulão / Lusa

Depois de ter cancelado o projeto “Nata 3”, com crédito malparado no valor de 1,2 mil milhões de euros, o Novo Banco prepara agora a venda de carteiras de dimensões mais reduzidas.

A revelação foi feita na conferência “Banca do Futuro”, organizada pelo Jornal de Negócios. “Temos já um processo em curso que está neste momento no mercado”, disse António Ramalho, CEO do Novo Banco na, conferência.

António Ramalho está em contrarrelógio para reduzir os ativos tóxicos que estão no perímetro do acordo de capital contingente, tendo em conta o objetivo assumido de deixar de contar com o apoio do Fundo de Resolução a partir do próximo ano.

“Já vamos um bocadinho atrasados porque um dos meus colegas que está aqui sentado chegou ao mercado primeiro do que eu por causa desta discussão momentânea [em torno do Novo Banco] e tirará seguramente benefício de ter mais investidores à procura da tipologia de créditos que também estou a vender, mais granular”, revelou Ramalho, referindo-se a Miguel Maya e ao BCP, que tem no mercado as operações “Webb” e “Ellis” no valor global de 750 milhões.

De acordo com o jornal ECO, no caso do Novo Banco, está em marcha o projeto “Carter” – um referência ao jogador de râguebi da Nova Zelândia Dan Carter, considerado um dos melhores do mundo. Trata-se de uma carteira no valor de cerca de 100 milhões de euros e composta por créditos secured e unsecured, isto é, inclui contratos de empréstimo com colateral e sem colateral.

“Não se chama ‘Nata 3’ porque achámos por bem denominar isto com nomes mais ligados a jogadores de râguebi. O râguebi passou a estar na moda depois de este meu colega ter lançado também com base no râguebi dois processos no mercado”, disse Ramalho. “Agora há três processos com simbologia de râguebi no mercado”.

É a simbologia dos lutadores que nunca desistem e que querem assegurar no mercado a eficácia e o cumprimento dos seus objetivos”, disse Ramalho para explicar a razão da escolha de nomes de atletas de râguebi.

O Novo Banco deverá lançar mais uma operação até ao final deste ano, que também terá o nome de um jogador de râguebi e cujo valor da carteira deverá rondar os 200 milhões de euros.


Fonte: ZAP