Logo paivense
Logo paivense

Santana desafia partidos a falar sobre coligações antes das legislativas

Mário Cruz / Lusa

O presidente do partido Aliança, Pedro Santana Lopes, desafiou os líderes partidários a dizerem antes das eleições legislativas deste ano se querem alguma coligação pós-eleitoral e com que partidos.

Uma coligação pré-eleitoral dos partidos do centro-direita seria “uma possibilidade, mas é difícil e, por isso, propus o acordo pós-legislativas, com base nos resultados que surgirem”, mas, “antes das eleições tem que se dizer o que se quer“, disse Santana Lopes aos jornalistas, durante uma visita a uma herdade agrícola no concelho alentejano de Serpa.

“Como António Costa tem que dizer, clarificar de uma vez por todas, que não fique à espera das eleições para ver depois com quem namora, isso é feio”, afirmou. “Tem que se dizer antes de quem é que se gosta.”

“E está na cara de todos de quem é que António Costa gosta pela experiência ainda recente, ou seja, a frente de esquerda, que continue lá”, disse Santana Lopes, referindo que os partidos do centro-direita “também têm que dizer de sua justiça”.

“Eu disse da minha, a Aliança disse da sua, agora temos este ano todo para ir tratando deste assunto e mostrando quem quer coligação pós-eleitoral e como quer“, sublinhou.

Para Pedro Santana Lopes, “não há tempo mais propício para uma coligação das forças do centro-direita do que quando existe uma frente de esquerda”.

Por isso, é necessário “assumir essa bipolarização [esquerda ou direita], propor aos portugueses, de modo claro, quais são os dois caminhos e daí julgo que só virá bem para Portugal e não mal nenhum”, defendeu, frisando que deve haver “clareza de escolhas, de opções” para “os portugueses tomarem a sua decisão na devida altura”.

“Podia haver uma coligação pré-eleitoral [dos partidos do centro-direita] para as legislativas, com base no resultado das europeias”, mas, “pela distância que tenho visto das outras forças políticas deste setor [PSD e CDS-PP], uma em relação à outra ou em relação a todos os que integram este espaço, acho difícil” e, “pelo menos agora, as condições não estão reunidas para que isso aconteça”, disse.

Santana Lopes disse que o Aliança não quer uma coligação pré-eleitoral do centro-direita para as europeias de maio deste ano, porque o partido “por si tem que ir sozinho a umas eleições medir a sua força” e também porque “não faz sentido nenhum”.

Fonte: ZAP