Logo paivense
Logo paivense

Um pequeno erro de um engenheiro fez com que um lago da Louisiana desaparecesse por completo

O Lago Peigneur era um pequeno lago de água salgada, próximo da Baía de Vermilion, no sul da Louisiana. Contudo, numa fatídica manhã de novembro de 1980 este desapareceu, mas depois tornou-se no lago mais profundo de toda a Louisiana.

A 20 de novembro de 1980, uma equipa contratada pela Texaco teve indicações para  fazer uma perfuração exploratória no lago. No entanto, quando começou os trabalhos, deparou-se com um problema: a broca de perfuração parecia estar presa. Este foi apenas o início do problema, pois a equipa estava prestes a ver o lago desaparecer diante dos seus olhos.

Debaixo do lago havia uma mina de sal com mais de 100 anos, porém a equipa que estava a realizar a perfuração pensou que a estava a executar bem longe da mina, mas, para surpresa de todos, quando tentaram remover a broca que estava presa, a plataforma começou a inclinar-se pouco antes de desaparecer.

A equipa conseguiu fugir para a costa, onde observou a plataforma de 46 metros (que albergava o pequeno lago) a desaparecer. Vários barcos também desapareceram no meio de um remoinho gigante, que ia aumentando conforme o buraco ia crescendo.

Os trabalhadores da mina também saíram a tempo e puderam observar parte de uma ilha próxima a deslizar para dentro do buraco, que teve força suficiente para fazer a água lançar-se a 122 metros de altura, através da abertura da mina.

O lago costumava alimentar a Baía Vermillion através do Canal Delcambre, mas o fluxo foi revertido quando este foi esvaziado. Desta forma a água da baía foi carregada para trás e criou, temporariamente, uma cascata de 50 metros. A queda de água fez com que o recém-escavado furo se enchesse novamente, tornando-o assim no maior lago da Louisiana.

Devido a esta situação, a Texaco teve de pagar à Diamond Crystal Salt Company 32 milhões de dólares (cerca de 27 milhões de euros) num acordo extrajudicial por causa dos danos à mina, diz o IFL Science.

Este acidente ocorreu porque houve um erro ao usar o sistema de medição. O engenheiro do projeto acreditava que o mapa que estava a usar era um sistema de coordenadas de Projeção de Mercator, enquanto afinal usava um sistema de coordenadas de Mercator Transversal Universal.

Ambos os mapas são baseados em projeções de Mercator, mas no sistema de coordenadas Mercator Transversal Universal o mundo é dividido em 60 planos e são usadas projeções mais localizadas, resultando em mapas mais precisos numa escala local.

Usar o mapa errado pode causar danos irreversíveis. E foi assim que o erro de um engenheiro fez um lago desaparecer.