Logo paivense
Logo paivense

Vai ser possível trocar plástico por senhas de supermercado

O Governo vai apresentar esta quinta-feira um conjunto de iniciativas para reduzir o impacto da poluição que os plásticos criam. Trocar plástico por senhas de supermercado é um dos incentivos propostos.

Esta quinta-feira, o Governo vai apresentar um pacote de medidas para aumentar a reciclagem dos plásticos. Entre elas está a possibilidade de trocar plástico usado nos supermercados por senhas para usar nessa superfície comercial.

A cada segundo que passa, fabricam-se, em média, 9,5 quilos de resinas sintéticas moldáveis no mundo. Por esse motivo, escreve o Diário de Notícias, o plástico é um poluente que está a gerar cada vez mais atenção global.

“Até 2021 Portugal vai ter um sistema de incentivos para quem reciclar estes materiais”, diz ao jornal o secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, antecipando o relatório do grupo de trabalho sobre plásticos, que a Agência Portuguesa do Ambiente torna nesta manhã público na Fundação Calouste Gulbenkian.

“Uma das principais medidas é a instalação de unidades de recolha em pontos de grande venda de plásticos, como os supermercados. O peso que o consumidor entregar será depois convertido em senhas de compras nesses mesmos estabelecimentos”, explica o responsável.

A entrega de plástico em troca de senhas de compras poderá entrar em vigor já no próximo ano nas grandes superfícies, depois nas estações de serviço e nas áreas de restauração das grandes superfícies, avança o Jornal de Negócios.

Caso esta medida não surta o efeito desejado, poderão ser implementadas taxas de retorno para as garrafas de plástico de águas e refrigerantes para que os consumidores sejam incentivados a devolver as garrafas, à semelhança do que acontece com as garrafas de vidro com tara (taxa de retorno).

Esta última iniciativa é defendida pelo PAN e pelo Bloco de Esquerda, mas o Governo não a quer implementar para já, escreve o Jornal de Notícias.

Campanhas de educação ambiental e acordo com os produtores, distribuidores e restauração são algumas das medidas previstas pelo Governo. A ideia é reduzir o consumo de garrafas de plástico (voltando a dar uso às garrafas de vidro nos restaurantes, por exemplo) e aumentar a recolha dos plásticos utilizados.

A recolha porta a porta feita pelos municípios deverá também ser alargada, não só para os plásticos, mas também para os biorresíduos, como resíduos alimentares e dos jardins. Ainda assim, esta medida não será aplicada da mesma forma em todo o país.

No caso das águas e dos refrigerantes, Carlos Martins propõem também que as garrafas, tampas e rótulos sejam feitos do mesmo material, de modo a simplificar o tratamento de resíduos.

Fonte: ZAP