Logo paivense
Logo paivense

A radiação do seu telemóvel pode estar a matar insetos

Um novo estudo sugere que a radiação dos telemóveis pode ter contribuído para o declínio dramático das populações de insetos na Europa nos últimos anos.

A radiação eletromagnética dos telemóveis e as redes Wi-Fi podem ser uma das causas da diminuição das populações de insetos em grande parte da Europa nos últimos anos. A teoria surge num estudo que analisou vários outros artigos científicos que demonstraram o impacto negativo da radiação em abelhas, vespas e moscas.

O artigo científico ainda carece de revisão por pares, mas pode ser consultado através deste link.

De acordo com o Phys, especialistas da União para a Conservação da Natureza e Biodiversidade da Alemanha (NABU) e de outras duas organizações não-governamentais (ONGs), uma alemã e outra luxemburguesa, analisaram 83 pesquisas consideradas cientificamente relevantes, das quais 72 advertiam para as consequências da radiação.

À AFP, Johannes Enssle, diretor da NABU, explicou que “o tema é incómodo para muitos de nós porque interfere com os nossos hábitos diários“, além de existirem “poderosos interesses económicos por trás da tecnologia da comunicação móvel”.

Entre os efeitos, os especialistas detalharam uma capacidade reduzida de movimentação dos animais devido à alteração dos campos magnéticos, assim como danos no material genético e em larvas.

A radiação dos telemóveis e redes Wi-Fi também abre canais de cálcio em certas células, provocando a absorção de mais iões deste elemento químico, alterando os ritmos circadianos e o sistema imunológico dos insetos.

“O estudo mostra que devemos manter os olhos abertos em todas as direções quando analisamos as causas da dramática diminuição das populações de insetos”, rematou Enssle.