Logo paivense
Logo paivense

Mário Ferreira acata decisão da CMVM e lança OPA sobre a Media Capital

DouroAzul / Wikimedia

O empresário português Mário Ferreira, dono da Douro Azul

O empresário anunciou, esta quarta-feira, que vai lançar uma OPA a 69,78% das ações da Media Capital, depois de a CMVM o ter obrigado a realizar esta operação.

A Pluris Investments, empresa detida por Mário Ferreira, vai lançar uma oferta pública de aquisição (OPA) às ações da Media Capital que não detém, ou seja, cerca de 69,78%, anunciou, esta quarta-feira, o comunicado da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

As regras de mercado estabelecem que a empresa terá de pagar, pelo menos, 67 cêntimos por cada ação. Este é o valor mínimo, mas o preço efetivo ainda vai ser determinado por um auditor independente.

Segundo o jornal online Observador, este foi o valor pago pelos outros acionistas da Prisa, que incluem a CIN, Lusialves e Cristina Ferreira. Este montante é superior aos 0,411 que o dono da Douro Azul pagou para adquirir 30,22% da Media Capital.

Para lançar a OPA, Mário Ferreira terá ainda de obter “autorizações regulatórias aplicáveis em matéria de controlo de concentrações e aquisição de domínio de um grupo societário”, ou seja, da Autoridade da Concorrência (AdC) e da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), lê-se na mesma nota da CMVM.

A CMVM tinha considerado que houve exercício de concertação entre a Pluris Investments e a Prisa na Media Capital, determinando que o empresário teria de lançar no prazo máximo de cinco dias, que terminava esta quarta-feira, uma OPA obrigatória sobre os 69,78% do capital da dona da TVI.

Em comunicado enviado às redações, citado pelo semanário Expresso, a Pluris Investments diz que, com esta OPA, “entende estar a agir contra a incerteza e a instabilidade que têm revestido o processo de recuperação da Media Capital”.

“Com esta operação, transparente e aberta ao mercado, defendemos e protegemos da incerteza milhares de postos de trabalho e um projeto comunicacional da maior relevância para a sociedade portuguesa”.

Esta decisão acontece um dia depois de o empresário ter sido eleito presidente do conselho de administração da Media Capital.


Fonte: ZAP