Logo paivense
Logo paivense

O radiotelescópio caçador de extraterrestres voltou a sofrer danos

University of Central Florida

A rutura de um segundo cabo, na última sexta-feira, complicou ainda mais a situação no Observatório de Arecibo, em Porto Rico.

Pela segunda vez em poucos meses, o Observatório de Arecibo, em Porto Rico, sofreu novos danos, pondo em causa aquele que é um dos maiores e mais poderosos radiotelescópios do mundo, avança o site Science Alert.

Em agosto deste ano, o radiotelescópio ficou com um enorme buraco, com cerca de 30 metros de comprimento, depois de um cabo auxiliar ter rompido, caído e batido na estrutura.

Nos meses que se seguiram, engenheiros e trabalhadores do observatório começaram as preparações para uma reparação complexa, com as obras programadas para iniciarem esta semana. Infelizmente, na última sexta-feira, a rutura de um segundo cabo complicou ainda mais a situação.

De acordo com a Universidade da Flórida Central (UCF), que opera o observatório em nome da Fundação Nacional da Ciência (NSF), o segundo incidente parece ter relação com o primeiro. Os dois cabos estavam conectados à mesma torre de suporte, logo, é possível que a segunda rutura tenha sido desencadeada por tensão adicional provocada pela primeira.

Segundo o mesmo site, a UCF está a agilizar o plano de reparação, com o objetivo de reduzir a tensão nos restantes cabos o mais depressa possível. Dois novos cabos também já estão a caminho do observatório, sendo que a equipa continuará a avaliar a estrutura enquanto espera pela chegada destas peças.

O que torna todo o projeto de reparação ainda mais desafiante é a idade do Arecibo. Construído em 1963, este era o maior telescópio do mundo, com um diâmetro de 305 metros, e manteve esse estatuto durante 53 anos, até ser ultrapassado pelo Radiotelescópio Esférico com 500 Metros de Abertura (FAST) da China.

O Arecibo já alcançou dezenas de marcos astronómicos, tendo observado e registado novas medições científicas de exoplanetas, asteroides, pulsares, emissões de rádio e moléculas em galáxias distantes. Além disso, um dos seus principais propósitos também tem sido a busca por vida extraterrestre, através do projeto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence).

Para além da sua idade avançada, este radiotelescópio sofreu alguns danos quando o furacão Maria atingiu Porto Rico, em 2017. Também já esteve em risco de fechar várias vezes por falta de financiamento.